Quarta-feira, 2 de Agosto de 2006

A Prancha falsa de Hergé

Os desenhadores e colaboradores de Hergé, Jacques Martin e Bob DeMoor, aproveitando as férias de Hergé, publicaram, em 1965, no jornal suíço «L'Illustré» uma prancha falsa de Tintin, como se a mesma fosse de Hergé.

O artista Jacques Martin contou que um jornalista suíço se deslocou aos Estúdios Hergé com o fim de conhecer o novo álbum de Tintin. Como não havia nada para mostrar, Martin e DeMoor germinaram a ideia de fazerem uma prancha de Tintin. Logo que a prancha esteve pronta, o jornalista, entusiasmado, publicou-a com merecido destaque no seu jornal, acompanhada de algumas fotografias e entrevistas. Uma prancha como se fosse de Hergé, pelas mãos dos seus colaboradores. Uma bricadeira que ficou para a história, como a primeira «pastiche» de Tintin.

Posteriormente, em declarações ao mesmo jornal, Hergé afirma não duvidar da competência dos seus colaboradores, mas ele é o único pai de Tintin. A resposta estava dada. Sem Hergé não há Tintin.

publicado por zetantan às 21:31
link do post | comentar | favorito
Sábado, 29 de Julho de 2006

Tintin Raconte - Voir et Savoir

Uma das vertentes pedagógicas da banda desenhada é, sem dúvida, a didáctica. Aproveitando o sucesso do Tintin, o atelier de Hergé, com a ajuda preciosa de Bob de Moor, Jacques Martin e Edgar Pierre Jacobs, editou a colecção Voir et Savoir que reunia colecções de cromos desenhados com a presença de Tintin e Milou e retratava a evolução histórica dos diversos meios de locomoção (combóios, barcos, automóveis e aviões).

A primeira colecção que surgiu foi «Le chemin de fer», que reuniu uinicamente seis cromos e que marcou significativamente o fim da colaboração de Jacobs com Hergé.

Posteriormente surgiram sob a direcção histórica e técnica de Jacques Martin o volume «L' histoire de l'aviation - des origines a 1914», que contém 60 cromos. O segundo volume sobre a história da aviação cobre o período de 2ª Guerra Mundial (1939-1945) com também 60 cromos.

 O balonismo também teve uma edição específica de 60 cromos com a «L' histoire de l'aérostation - Des origines a 1940» , que teve a direcção técnica de Edgar Pierre Jacobs.

Os volumes seguintes foram dedicados à marinha. O primeiro volume «L' histoire de la marine - Des origines a 1700» teve a direcção histórica e técnica de Georges Fouillé e do banda desenhista Bob de Moor. O volume teve os mesmos 60 cromos com a particularidade de retratar diversas caravelas do período áureo dos descobrimentos portugueses. O segundo volume foi editado mais tarde e cobre o período de 1700 a 1850 com a quantidade de cromos, tendo a direcção técnica da responsabilidade de mais um elemento, Marjolaine Mathikine.

Finalmente, a história do automóvel com um volume de 60 cromos e a direcção técnica de Jacques Martin: «L' automobile - Des origines a 1914». Este volume teve uma edição portuguesa da Editorial Pública em 1982 com o título «A história do Automóvel» inserido na colecção Pequena Enciclopédia Tintin.

 

 

 

publicado por zetantan às 12:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

pesquisar

 

Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Últimos Posts

A Prancha falsa de Hergé

Tintin Raconte - Voir et ...

Arquivos

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Categorias

albert algoud

amis de herge

bazaroff

biblioteca

carros

cheverny

cinema

clubes

dalai lama

de moor

descoberta

eventos

explorando a lua

exposições

haddock

idiomas

imprensa

internet

jacobs

jacques martin

merchandising

moulinsart

numismática

pastiche

portugal

quotidiano

rallye

raymond leblanc

revista tintin

sapperloot

sildavia

tibete

traduções

zaharoff

todas as tags

Links Tintinofilos

subscrever feeds